7 coisas que você não sabia (ou não lembrava) sobre Blota Jr.





1 - Orgulhava-se de ter nascido em Ribeirão Bonito



Nunca se cansava de elogiar sua terra natal, seja nas conversas com amigos, seja nos programas que apresentava. Foi em Ribeirão Bonito onde começou no jornalismo, publicando seu primeiro artigo aos 12 anos de idade no "Correio d'Oeste", onde se tornaria eterno diretor-responsável.

2 - Apresentou quase 200 programas



183, para ser mais preciso, ao longo dos seus 60 anos de carreira no rádio e na TV. Na Record, Blota Jr. permaneceu por mais de quatro décadas, onde apresentou todo tipo de programa: de infantis até os grandes festivais da MPB, sem falar de clássicos como "Show do dia 7" e "Esta noite se improvisa". Não raro, dividia o comando do espetáculo com sua esposa, a elegante Sonia Ribeiro.

3 - Foi o pai do "Show do intervalo"



Na Rádio Cruzeiro do Sul, onde era locutor esportivo, teve uma ideia brilhante: preencher o intervalo das partidas de futebol com comentários de jornalistas presentes ao estádio, ao invés de simplesmente tocar música, como era comum na época. Nasceu assim um formato que segue firme até hoje no rádio e na TV.

4 - Chegou a ter cinco empregos simultâneos



Blota Jr. era workaholic! No final dos anos 1960, auge de sua carreira artística, ele trabalhava em cinco lugares ao mesmo tempo: apresentador da TV Record; apresentador da TV Tupi do Rio; deputado estadual por São Paulo; diretor-vice-presidente da fábrica de bicicletas Caloi (da qual também era garoto-propaganda); presidente da Dínamo de Propaganda (house agency que cuidava do Carnê Erontex, concorrente do Baú da Felicidade)!

5 - Faustão e Nair Bello foram dois dos muitos artistas que ajudou no início de carreira



Vários nomes famosos foram lançados por Blota Jr. Faustão, por exemplo, teve seu primeiro emprego na cidade de São Paulo, na Rádio Record, graças à indicação de Blota Jr. E foi ele também quem orientou Nair Bello, com seu riso solto, a trilhar o caminho do humor, quando ainda era radioatriz.

6 - Era sempre o centroavante quando jogava bola



Blota Jr. adorava esporte. Qualquer esporte. O futebol, contudo, era sua grande paixão (são-paulino doente). Montou times em todos os lugares onde trabalhou, até no Congresso Nacional! Independente da escalação, a única coisa que Blota Jr. não abria mão era de ser centroavante. Passava boa parte do jogo plantado na área esperando a bola chegar aos seus pés. E se ela não chegasse? Virava fera! Um detalhe: nem no campo abandonava seus óculos fundo de garrafa.

7 - Este era o seu número da sorte



Ao mesmo tempo que era católico fervoroso, devoto de São Judas Tadeu, Blota Jr. era supersticioso. Adorava o 7. As placas de todos os seus carros terminavam com 7, dirigiu a PRH-7 (Rádio Panamericana, hoje Jovem Pan) e apresentou o primeiro programa da TV Record Canal 7, inaugurada num dia 27. Em tempo: Blota Jr., desta forma, como costumava assinar, tem 7 letras.

Muitas outras curiosidades são encontradas na biografia "Blota Jr.: a elegância no ar", do meu amigo Fernando Morgado. Clique aqui para adquirir a obra no site da Matrix Editora.


Deixe sua opinião



Leia também

Novelas

Por onde anda Cecília Dassi, a Sandrinha de Por Amor

A garotinha Sandrinha conquistou o Brasil na primeira exibição de Por Amor, exibida entre 1997 e 1998 pela Rede Globo. Cecília Dassi, tinha apenas sete anos quando interpretou a personagem. Depois disso, ainda atuou em diversos papeis na Rede Globo, mas abandou a carreira na televisão