19 de março na história da TV: em 1999, terminava Meu Bem Querer


Confira os destaques do dia 19 de março na história da televisão brasileira:

No dia 19 de março de 1971, estreava o jornalístico Foco na Notícia (Cultura).



No dia 19 de março de 1976, estreava o programa Brasil Especial (Globo).

Exibido mensalmente na faixa Sexta Super, às 21h, Brasil Especial traçava perfis de grandes nomes da MPB, a partir de depoimentos de familiares e amigos, além de astros e estrelas da música interpretando composições do artista homenageado. Na estreia, Ary Barroso. Posteriormente Dolores Duran, Luiz Gonzaga, Martinho da Vila e Vinícius de Moraes. Na última temporada, em 1984, foi veiculado às 22h30.



No dia 19 de março de 1979, estreava a novela Feijão Maravilha (Globo).

Bráulio Pedroso propôs reverenciar as chanchadas da Atlântida - contando, inclusive, com nomes como Eliana Macedo e José Lewgoy. Acabou condicionando o horário das 19h às comédias, de êxito incontestável, que marcaram os anos 1980. Em cena, funcionários e hóspedes do Hotel Internacional, envolvidos em trambiques e romances. Lucélia Santos, Stepan Nercessian e Maria Cláudia protagonizavam.



No dia 19 de março de 1982, terminava a reapresentação de Cabocla (1979) em Vale a Pena Ver de Novo (Globo).

Trama que marcou o início do romance de Fábio Jr e Gloria Pires - o casal Luís Jerônimo e Zuca - Cabocla foi reapresentada no 'Vale a Pena' enquanto seu autor, Benedito Ruy Barbosa batia ponto na Band, com Os Imigrantes (1981). Os 170 capítulos, exibidos originalmente às 18h, foram reduzidos para 95. A novela ganhou remake em 2004, também às 18h; o mesmo foi reprisado em 2008. Foi a primeira vez que a sessão exibiu versão original e adaptação.



No dia 19 de março de 1982, estreava o humorístico Estúdio A... Gildo (Globo).

Também cartaz da Sexta Super, Estúdio A... Gildo, ancorado pelo humorista Agildo Ribeiro, reproduzia o espírito do teatro de revista. Um espetáculo com números de dança e música era encenado para a plateia do Teatro Fênix, dividindo espaço com esquetes onde Agildo reverenciava figuras como Abelardo Barbosa e Clodovil - ambos no auge da popularidade com o Cassino do Chacrinha (1982) e o TV Mulher (1980).



No dia 19 de março de 1984, estreava o programa Show dos Shows (Globo).

A atração, produzida em São Paulo, contava com Marília Gabriela apresentando reportagens e entrevistas que focavam a agenda cultural de todo o país. Exibido de segunda-feira a sexta-feira, às 12h, o Show dos Shows contava com críticas sobre televisão de Artur da Távola e matérias externas de Hildegard Angel. Foi extinto em junho do mesmo ano; meses depois, Gabi se transferiu para a Band.



No dia 19 de março de 1984, estreava a novela Amor com Amor se Paga (Globo).

Ivani Ribeiro revisitou Camomila e Bem-Me-Quer, que escreveu para a Tupi em 1972, alterando perfis de personagens e situações. A trama popularizou o nome Nonô Corrêa (personagem de Ary Fontoura), sinônimo de avareza. Sucesso do horário das 18h, 'Amor com Amor' reunia nomes como Berta Loran, Bia Nunnes, Caíque Ferreira, Carlos Kroeber, Cláudia Ohana, Edson Celulari, Narjara Turetta e Oberdan Jr.



No dia 19 de março de 1999, terminava a novela Meu Bem Querer (Globo).

Ricardo Linhares, em sua estreia como autor-solo, levou para o horário das 19h o regionalismo consagrado às 20h, em tramas como Pedra Sobre Pedra (1992). A audiência não respondeu a contento, mesmo diante do bom folhetim proposto pelo autor, centrado na figura de Custódia (Marília Pêra) e no quarteto amoroso formado pelas irmãs Rebeca (Alessandra Negrini) e Lívia (Flávia Alessandra) e pelos irmãos - que desconheciam tal condição - Antônio (Murilo Benício) e Juliano (Leonardo Brício).



No dia 19 de março de 1999, terminava a minissérie Chiquinha Gonzaga (Globo).

Escrita por Lauro César Muniz, retratava a vida da compositora brasileira, na juventude (vivida por Gabriela Duarte) e na vida adulta (então a cargo de Regina Duarte). No elenco, Caio Blat, Carlos Alberto Riccelli, Danielle Winits, Fábio Junqueira, Marcello Novaes e Susana Vieira. Nos créditos finais, uma estrela da música - como Daniela Mercury e Milton Nascimento - interpretava composições da maestrina.


Deixe sua opinião


Leia também