Os 10 personagens mais clássicos de A Praça É Nossa



O programa de humor mais tradicional da TV brasileira. Essa é uma boa definição para A Praça É Nossa. Criado por Manuel de Nóbrega em 1956, com o nome de Praça da Alegria, na extinta TV Paulista, o formato segue vivo até hoje.

Desde 1987, o humorístico está no ar no SBT, comandado por Carlos Alberto de Nóbrega. A seguir, relembre os dez personagens mais clássicos da Praça É Nossa.

Velha Surda



Vivida por Roni Rios, a senhora Bizantina Escatamáquia Pinto aprontava muitas confusões ao não entender as palavras de Apolônio (Viana Junior). Rios faleceu em 2001, vítima de câncer linfático.

Pacífico



Ronald Golias interpretava o personagem, que sempre tinha desculpas esfarrapadas para suas confusões. Golias morreu no ano de 2005, em decorrência de uma infecção generalizada.

Vera Verão



Jorge Lafond era uma das maiores atrações do programa, interpretando o homossexual que sempre brigava com uma mulher, mas acabava roubando o homem desta. Lafond morreu em 2003, após uma parada cardiorrespiratória.

Filomena



Interpretada por Gorete Milagre, a empregada doméstica Filó roubava a cena com o seu bordão: Ô Coitado!. Em 2014, Gorete esteve no elenco de Trair e Coçar é Só Começar, série do Multishow.

Batoré



Vivido por Ivan Gomes, Batoré foi um dos maiores sucessos da história da Praça, divertindo o público com histórias sobre sua feiúra. Atualmente, Gomes está no elenco da novela Velho Chico.

Canarinho



O humorista Canarinho vivia uma versão exagerada de si mesmo, arrumando muitas confusões com os frequentadores da Praça, principalmente com o esquentado Aurélio (Carlos Koppa). Canarinho faleceu em 2014, após um infarto agudo do miocárdio.

O Homem de Itu



Vivido por Simplício, o personagem ficou famoso com seus exageros sobre a cidade paulista de Itu, onde tudo seria gigantesco. Simplício faleceu em 2004, vítima de falência múltipla dos órgãos.

Fofoqueira



Interpretada por Maria Teresa, Dona Vamércia sempre se metia na conversa de Carlos Alberto para espalhar suas fofocas. Maria Teresa faleceu em 1999, após edema pulmonar agudo e insuficiência coronariana.

Tô de olho no sinhô



Interpretado por Clayton Silva, o personagem era um louco, que vivia fazendo apostas com Carlos Alberto. Silva faleceu em 2013, após complicações causadas por um câncer.

O Homem do Bumbo



Vivido por Lilico, o personagem visitava a Praça com seu bumbo, fazendo piadas e soltando o clássico bordão: Tempo bom não volta mais. Lilico morreu em 1998, vítima de problemas respiratórios.

Qual era seu personagem preferido de A Praça É Nossa? Comente!

Veja também: Relembre a história de Kevin Arnold: os segredos da série Anos Incríveis

Veja também: Os 35 programas mais clássicos dos 35 anos do SBT

Veja também: Por onde anda o elenco de Vamp?

Veja também: Qual novela das 7 passava quando você nasceu?

Veja também: Qual novela das 8 passava quando você nasceu?


Deixe sua opinião



Leia também

Novelas

Por onde anda Cecília Dassi, a Sandrinha de Por Amor

A garotinha Sandrinha conquistou o Brasil na primeira exibição de Por Amor, exibida entre 1997 e 1998 pela Rede Globo. Cecília Dassi, tinha apenas sete anos quando interpretou a personagem. Depois disso, ainda atuou em diversos papeis na Rede Globo, mas abandou a carreira na televisão