Canal evangélico queima largada e desliga sinal analógico em Goiânia mesmo com adiamento


Na última terça-feira (30), a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) anunciou que o desligamento do sinal analógico foi adiado em três semanas em Goiânia - agora, o switch-off acontecerá no dia 21 de junho.



O pedido foi feito pelas emissoras, por conta de pesquisas feitas pelo Gired (Grupo de Implantação do Processo de Distribuição e Digitalização de Canais de TV e RTV), que apontavam que o número percentual de casas com TV digital é de 88%, abaixo dos 93% obrigatórios.

O fato fez TV Serra Dourada/SBT, Record Goiás e TV Anhanguera/Globo ficarem aliviados, pois temiam alguma perda maior de Ibope com o switch-off. Mas, mesmo assim, uma emissora da cidade "queimou a largada".

A Fonte TV, canal evangélico pertencente ao Sistema Fonte de Comunicação, da Fundação Ministério Comunidade Cristã, com sede em Goiânia e com transmissão em Antenas Parabólicas, decidiu desligar o sinal analógico ainda no dia 31 de maio.

A decisão de manter o cronograma foi tomada por conta das propagandas que o canal já havia feito em seus intervalos. Num evento, Mikael Alves afirmou que a digitalização era importante.

"O telespectador poderá ver agora os programas que gosta com melhor imagem e som. Isso representa respeito com eles e é mais conforto também", comentou o diretor.

A emissora entrou no ar em 25 de julho de 2006; antes, chamava-se RCC TV (Rede Cristã de Comunicação), passando a ser Fonte TV, pertencente ao Sistema Fonte da Vida de Comunicação.

Sua instalação é considerada polêmica, pelo fato de que o canal estava sendo disputado pela Universidade Federal de Goiás, desde o final dos anos 90, que foi desbancada pela Igreja Apostólica Fonte da Vida, tendo a sua concessão outorgada em 2002, no governo do presidente Fernando Henrique Cardoso.

No Senado Federal, houve uma tentativa de cassar a concessão, mas não foi adiante. A UFG, posteriormente, obteve a concessão do canal 14 UHF, que chegou a não transmitir por falta de recursos, mas voltou ao ar.

No seu início, a programação era basicamente composta de videoclipes, entrevistas e cultos religiosos. Hoje, ela é dedicada apenas aos cultos evangélicos.


Deixe sua opinião


Leia também