A diversidade de reality shows na TV aberta brasileira só aumenta ano a ano



Nos últimos anos, o número de reality shows da TV aberta brasileira veio crescendo, com novos formatos sendo explorados por vários outros canais e fazendo uma grande concorrência com alguns considerados "tradicionais", existentes há um grande tempo, como o Big Brother Brasil, da Globo.



O MasterChef Brasil, por exemplo, tornou-se uma grande sensação rapidamente ao trazer um formato consolidado em vários outros países pelo mundo e também nos canais de TV por assinatura para o sistema aberto de televisão. Além disso, a culinária é algo que sempre chama a atenção das pessoas.

A diversidade de culturas, povos e de gêneros também é bastante presente nos reality shows. No caso do MasterChef, em suas inúmeras edições, os participantes são desafiados em alguns programas a preparar pratos de países ou regiões brasileiras específicas, o que é muito positivo, já que quem está do outro lado da tela consegue conhecer o que normalmente não tem acesso na sua rotina diária.

Em realitys como o Big Brother Brasil, Power Couple e A Fazenda, é muito fácil observar as diferenças entre as pessoas, a troca de experiências, histórias, as suas personalidades e também uma certa representação da realidade da sociedade, como a nossa colega Heloísa Gomes escreveu ontem aqui no TV História sobre o novo reality da RecordTV, A Casa.

Além disso, outro ponto benéfico é a grande opção que o telespectador tem de programas. Muita gente diz que a televisão aberta perdeu a sua credibilidade, o seu lado divertido, mas o que se vê é totalmente o contrário. A cada canal que se sintoniza, um tipo de programa se assiste, um público diferente se concentra, e isso garante a sobrevivência dos canais.

A prova mais evidente dessa diversidade é o engajamento do público nas redes sociais. Por exemplo, nessa última terça-feira, quando estreou o reality A Casa, a lista de Trending Topics do Twitter tinha tanto o reality novo da Record quanto o MasterChef como assuntos mais comentados da noite. O mesmo ocorreu na quinta-feira passada (22), quando À Primeira Vista estreava na Band e Power Couple Brasil chegava ao seu episódio final.

Esperamos que isso incentive cada vez mais a continuidade da produção desses programas, e que a televisão aberta continue mobilizando audiência, o engajamento dos telespectadores e que contribui para a construção de uma sociedade melhor.

E você, leitor, qual a sua opinião sobre isso?


Deixe sua opinião



Leia também

Novelas

Por onde anda Cecília Dassi, a Sandrinha de Por Amor

A garotinha Sandrinha conquistou o Brasil na primeira exibição de Por Amor, exibida entre 1997 e 1998 pela Rede Globo. Cecília Dassi, tinha apenas sete anos quando interpretou a personagem. Depois disso, ainda atuou em diversos papeis na Rede Globo, mas abandou a carreira na televisão