7 diferenças entre as duas versões de O Profeta; remake da Globo estreou há 11 anos


Foi com O Profeta, de Ivani Ribeiro, que a Tupi experimentou seus últimos meses de sucesso. A trama, que estreou em 24 de outubro de 1977, ganhou uma nova versão na Globo, quase 29 anos depois - após duas tentativas de reedita-la, numa parceria de Ângela Carneiro e Elizabeth Jhin. A adaptação de Duca Rachid e Thelma Guedes estreou em 16 de outubro, 11 anos atrás. Com um novo nome para o protagonista, evitando confusões com a novela das 19h, Cobras & Lagartos: Daniel (Carlos Augusto Strazzer) virou Marcos (Thiago Fragoso).



Esta, contudo, não foi a única mudança do original para o remake. O TV História lista abaixo outras sete diferenças entre uma produção e outra:

- Em 2006, Marcos deixava sua cidadezinha, no sul do país, para viver ao lado da irmã Ester (Vera Zimmermann) em São Paulo. Os pais Jacó (Stenio Garcia) e Ana (Vera Holtz) - que só apareceram nos primeiros capítulos - apoiaram a mudança, que julgavam benéfica para o filho atormentado por visões e entristecido com a morte do irmão, Lucas (Henrique Ramiro). Em 1977, Francisco (Aldo César) e Celina (Carminha Brandão) acompanharam toda a trajetória de altos e baixos do herdeiro Daniel. Os dois buscavam entender os poderes mediúnicos do profeta, partindo de dogmas divergentes: Francisco seguia a doutrina kardecista; Celina era católica fervorosa.

- Marcos, aliás, previu a morte de Lucas - e se ressentia por não ter conseguido evita-la. O jovem sempre sonhava com um barco à deriva, que se espatifava numa queda d'água. Na primeira versão, a "previsão" que deflagra a mediunidade de Daniel envolvia o cunhado João Henrique (Rolando Boldrin): ainda garoto, ele afirmava ter visto uma mulher loira (Nice Warken) ao lado de João, o que motivou o pedido de divórcio de Ester (Ana Rosa). Revoltado, o cunhado jurou vingar-se de Daniel; foi ele quem incitou o rapaz a usar seu dom para ganhar dinheiro. No remake, Henrique (Maurício Mattar) também armou para cima de Marcos, por uma boa quantia oferecida por Clóvis (Dalton Vigh). A "mulher loira" foi mantida nas duas versões: tratava-se de um espírito obsessor.

- Nas duas produções, Henrique era pai de uma jovenzinha espevitada: Mariúcha (Suzy Camacho) em 1977 e Baby (Juliana Didone) em 2006. Também nas duas produções, as pequenas se envolvem com Tony (Régis Monteiro / Daniel Ávila). As diferenças residem na origem dos "Tonys": o primeiro era enteado de João Henrique - e desconhecia o parentesco entre este e Mariúcha -; o segundo era filho de Lia (Nívea Maria).

- Aliás, a interesseira Lia, que buscava a todo custo casar sua primogênita Ruth (Carol Castro) com um bom partido, corresponde a Maria Luísa (Márcia de Windsor) no original. Só que Maria queria mesmo era arrumar um casamento pra si. Mirava no empresário do ramo alimentício Clóvis (Cláudio Corrêa e Castro), boa-praça que só tinha olhos para moças mais novas. No fim das contas, os dois se acertaram. Já em 2006, Clóvis (Dalton Vigh) foi convertido em vilão-mor da trama, casando-se com Sônia (Paolla Oliveira), a grande paixão de Marcos, chegando a trancafiá-la no sótão de sua mansão.

- Em dado momento da novela da Tupi, Daniel é acusado de ter tramado a morte de Murilo (Walter Prado). Seu melhor amigo era noivo de Sônia (Elaine Cristina), alvo de seu interesse. Após o afogamento, ocasional, que vitima Murilo, Sônia cede às investidas de Daniel - que abandona a então namorada, Ruth (Glauce Graieb). O personagem correspondia a Camilo (Malvino Salvador), no folhetim da Globo. O machão - que também era namorado de Sônia - acabou assassinado por Wandinha (Samara Felippo), "brotinho" que engravidou, recusando-se a assumir a paternidade do bebê, posteriormente.

- A paixão da professora de inglês Carola (Débora Duarte) por Daniel se concretizou nos capítulos finais de O Profeta, de Ivani Ribeiro - enquanto Sônia se casava com Heitor (John Herbert). Em dado momento, de visual repaginado, a moça aparece com Eduardo (Paulo Figueiredo) a tiracolo, apenas para causar ciúme no "profeta". Já na adaptação de Duca Rachid e Thelma Guedes, Carola se acerta com Arnaldo (Rodrigo Phavanello). O atrapalhado hóspede da pensão de Sônia também marcou presença em 'Profeta' 1977, interpretado por David José (então chamado Armando). Assim com Teresa (Irene Ravache / Paula Burlamaqui), a bonitona que despertava seu interesse - e com quem o Armando setentista chegou ao "fim".

- O remake apostou forte na doutrina espírita, diferente do original, que trouxe visões de diferentes religiões. Zulmira (Yolanda Cardoso) frequentava terreiros de candomblé, onde era atendida por Pai Romão (João Acaiabe). A mãe de Daniel, Celina, e o irmão desta, Padre Olavo (Luís Carlos de Moraes), buscavam auxílio de Dom Paulo Evaristo Arns; enquanto o pai Francisco e a irmã Ester iam até Uberaba visitar Chico Xavier. Estas figuras reais e fictícias foram sintetizadas na figura da charlatã Madame Rúbia (Rosi Campos) e no espírita Francisco (Mauro Mendonça). As duas tramas mantiveram o psicanalista Michel (Roberto Maya / Licurgo Spínola).


Deixe sua opinião


Leia também