Figura cômica do programa, Clécio é eliminado do MasterChef Profissionais



Após uma complexa prova de eliminação, a cozinha do MasterChef Profissionais perdeu um dos grandes personagens desta edição. O chef mineiro Clécio Campos, de 39 anos, deixou a competição nesta terça-feira (24) e terminou sua trajetória no programa entre os oito melhores da segunda temporada da atração.

Com um jeito simples e muito irreverente, Clécio cativou os jurados, alguns colegas de disputa e o público que acompanha o programa. Com a eliminação do mineiro de Cordisburgo, a atração passa a ter sete concorrentes na busca pelo título de melhor chef profissional do país.



O sétimo episódio do MasterChef Profissionais começou invadindo o universo teatral. Os oito competidores foram divididos em duas equipes: azul e vermelha. Na tarefa, eles deveriam preparar finger foods com toques da culinária francesa para 120 pessoas que fazem parte do espetáculo Les Miserables, um dos maiores musicais de todos os tempos que está em cartaz em São Paulo. Francisco foi o personagem principal da primeira prova. Por ter feito o melhor prato da etapa eliminatória do episódio anterior, o chef teve a chance de escolher quatro pessoas com quem não gostaria de trabalhar.



Francisco optou por não trabalhar com Pablo, Monique, Lubyanca e Ravi, que formaram a equipe vermelha. O chef cearense ainda ganhou o direito de liderar a equipe azul, com Clécio, Irina e Raissa. Em 2h40 de prova, mesmo tempo de duração do musical Les Miserables, os competidores deveriam preparar as receitas com algumas restrições, entre elas, muitos convidados eram vegetarianos e não poderia haver abóbora no menu.

As determinações causaram confusões entre os participantes. Na equipe vermelha, por exemplo, os competidores foram alertados novamente sobre o uso da abóbora durante o preparo de uma receita com o legume, que eles esqueceram que havia sido vetado.



Apesar das dificuldades da prova, os oito cozinheiros não desanimaram e terminaram a difícil tarefa confiantes com o trabalho realizado. Com o fim da prova e da degustação, os 120 integrantes do espetáculo foram às urnas para eleger o melhor cardápio de finger foods da noite.

Por 81 votos contra 39, os vencedores do desafio foram os renegados de Francisco: Pablo, Monique, Lubyanca e Ravi. O fracasso na tarefa fez com que Irina, Clécio, Raíssa e Francisco tivessem que disputar a permanência na competição na rodada eliminatória.



Na fase de eliminação, os quatro participantes derrotados na prova anterior deveriam fazer uma releitura de uma sobremesa chamada Torta Dubos, um doce húngaro que possui finas camadas de massa, intercaladas com creme de chocolate e um acabamento com caramelo fino, liso e crocante.

Uma tarefa nada fácil, já que os participantes não faziam ideia de como preparar a sobremesa. Em duas horas de prova, os competidores se esforçaram para reproduzir a receita com apenas três itens obrigatórios: pão de ló, creme de manteiga e caramelo - ingredientes comuns no preparo da torta.



Com algumas dicas vindas dos competidores salvos no mezanino, as receitas de Francisco, Irina, Clécio e Raíssa foram ganhando forma e surpreendendo até os próprios cozinheiros. Ao final dos 120 minutos da prova de eliminação, os jurados provaram as criações dos chefs e consideraram as receitas de Irina e Raíssa as melhores da prova.

A última vaga na competição ficou entre os amigos Francisco e Clécio. Na decisão de Paola, Jacquin e Fogaça pesou o fato de Clécio ter usado muito açúcar na receita. Assim, o chef mineiro se despediu do programa e garantiu o oitavo lugar na competição.


Deixe sua opinião



Leia também