Morre José Louzeiro, autor das novelas Corpo Santo e Guerra Sem Fim



Morreu nesta sexta-feira, 29, o escritor José Louzeiro. Responsável por diversos livros em tom de reportagem, que destrincharam casos policiais de repercussão nacional - como o da menina Araceli Crespo, em 1973, e o de Cláudia Lessin, em 1977 -, Louzeiro marcou a teledramaturgia da extinta Manchete, com novelas como Corpo Santo (1987) e Guerra Sem Fim (1993).



Nascido em 1932, em São Luís, no Maranhão, José Louzeiro atuava como jornalista desde 1948, quando começou a trabalhar no jornal O Imparcial. Transferiu-se para o Rio de Janeiro cinco anos depois.

Suas primeiras empreitadas no campo audiovisual se deram com as adaptações de dois de seus livros pelo cineasta Hector Babenco: Lúcio Flávio, o Passageiro da Agonia e Infância dos mortos, base para Pixote, a Lei do Mais Fraco.

Na TV, Louzeiro estreou à frente de Corpo Santo. O folhetim-reportagem, centrado no envolvimento de Téo (Reginaldo Faria) com tráfico de drogas e produção de filmes pornográficos, ganhou o APCA de melhor novela e melhor texto.

Em 1993, retomou o gênero com Guerra Sem Fim, após a primeira grande crise da Manchete - com as ações divididas entre a família Bloch e o grupo IBF. Neste mesmo período, viu censurada a minissérie O Marajá, com claras referências ao governo Fernando Collor.

José Louzeiro faleceu aos 85 anos, em razão de problemas decorrentes do diabetes.


Deixe sua opinião



Leia também

Novelas

Por onde anda Cecília Dassi, a Sandrinha de Por Amor

A garotinha Sandrinha conquistou o Brasil na primeira exibição de Por Amor, exibida entre 1997 e 1998 pela Rede Globo. Cecília Dassi, tinha apenas sete anos quando interpretou a personagem. Depois disso, ainda atuou em diversos papeis na Rede Globo, mas abandou a carreira na televisão