Artistas do elenco de Por Amor que já morreram



Relembre abaixo os artistas de Por Amor que já nos deixaram:

Carlos Eduardo Dolabella



Ator muito popular entre os anos 1970 e 1990, Carlos Eduardo Dolabella vivia Arnaldo de Barros Mota. Dono de um império, era casado com Branca (Susana Vieira) e pai de Marcelo (Fábio Assunção). Depois de Por Amor, ainda participou de Labirinto, Torre de Babel, Força de um Desejo, A Muralha e Porto dos Milagres. Morreu em 26 de maio de 2003, aos 65 anos, vítima de complicações cardíacas - um ano antes, havia sofrido um infarto.

Eloísa Mafalda



A inesquecível atriz viveu Leonor Batalha, mãe de Sirléia (Vera Holtz), avó de Catarina (Carolina Dieckmann) e sogra de Nestor (Marco Ricca). Dona de grandes papeis na história da televisão, se afastou do veículo em 2002, devido ao Mal de Alzheimer. Morreu em 16 de maio de 2018, vítima de insuficiência respiratória, aos 93 anos.

Umberto Magnani



Viveu Antenor na trama de Manoel Carlos. Morreu em 27 de abril de 2016, aos 75 anos, após sofrer um AVE (acidente vascular encefálico). Na ocasião, participava da novela Velho Chico, onde vivia o Padre Romão.

Castro Gonzaga



Outro grande ator da história da televisão brasileira, Castro Gonzaga viveu o Dr. Juvenal Moretti em Por Amor. Morreu aos 89 anos, em 2 de outubro de 2007, devido a falência múltipla dos órgãos.

Edyr de Castro



Intérprete de Elvira, a ex-Frenética morreu no dia 15 de janeiro de 2019, aos 72 anos, por falência múltipla dos órgãos. Nos últimos anos de vida, conviveu com o Alzheimer.

Chaguinha



Ator que viveu Narciso em Por Amor, Chaguinha participou de inúmeras novelas. Morreu em 3 de dezembro de 2014, aos 83 anos. A causa não foi revelada.

Lucy Mafra



A atriz, que viveu Santa na novela, morreu em 5 de dezembro de 2014, aos 60 anos, com falência múltipla dos órgãos, insuficiência respiratória e neoplasia de pulmão. Nos últimos anos de vida, teve uma intensa depressão.

Participações especiais

Diversos artistas que fizeram participações especiais na novela também já morreram. Confira alguns deles:

Carlos Zara, que foi o juiz do julgamento de Nando, morreu em 11 de dezembro de 2002, aos 72 anos, em virtude de falência múltipla de órgãos e insuficiência respiratória provocadas por um câncer de esôfago.

Dary Reis, que participou como Camargo, um amigo de Orestes (Paulo José), morreu em 26 de dezembro de 2010, aos 84 anos.

Fábio Junqueira foi Maurício, um primo de Atílio (Antonio Fagundes). O ator morreu em 20 de novembro de 2008, aos 52 anos.

Henrique César, que atuou como Dr. Murilo, morreu em 9 de janeiro de 2018, aos 84 anos.

Irving São Paulo, que participou como o Dr. Felipe, morreu no dia 10 de agosto de 2006, aos 41 anos, em decorrência de uma pancreatite.

John Herbert, pioneiro da televisão brasileira, viveu o empresário Durval. Ele morreu em 26 de janeiro de 2011, aos 81 anos.

Jorge Cherques, que foi o caseiro Lourenço, morreu em 11 de março de 2011, aos 82 anos.

Lady Francisco, que deu vida à cartomante Madame Consuelo, morreu no dia 25 de maio de 2019, aos 84 anos, em virtude de falência de múltiplos órgãos, decorrente de isquemia enteromesentérica.

Marcos Paulo, que fez uma breve participação no primeiro capítulo, morreu no dia 11 de novembro de 2012, aos 61 anos, vítima de embolia pulmonar. Ele lutou mais de um ano contra um câncer no esôfago.

Marly Bueno, que era a governanta Antonieta, morreu no dia 12 de abril de 2012, aos 78 anos.

Norma Geraldy, que vivia Filomena, mãe de Atílio (Antonio Fagundes), faleceu no dia 2 de dezembro de 2003, aos 95 anos.

Norton Nascimento, que foi o padre que casou Márcia e Wilson, morreu no dia 21 de dezembro de 2007, aos 45 anos.

Sebastião Vasconcelos, que viveu o padre que celebrou o casamento de Marcelo e Eduarda, morreu no dia 15 de julho de 2013, aos 86 anos, vítima de choque séptico e parada cardiorrespiratória.

Serafim Gonzalez, outro veterano ator, que também viveu um padre, que batizou Marcelinho, morreu em 29 de abril de 2007, aos 72 anos.

Sérgio Britto, consagrado nome da dramaturgia nacional, igualmente viveu um padre na trama, tendo batizado Ritinha. Ele morreu em 17 de dezembro de 2011, aos 88 anos.

Tânia Scher, que fez uma participação como Mônica, esposa de Durval (John Herbert), morreu no dia 9 de agosto de 2008, aos 61 anos.


Deixe sua opinião



Leia também